Diretor da Recepeti visita entidades ligadas ao empreendedorismo e inovação em Lisboa

O Diretor de Relações Institucionais com Empresas, Charles Schwanke, esteve entre  dezembro de 2017 e janeiro de 2018 visitando e conhecendo o modelo de atuação de três entidades localizadas em Lisboa, Portugal. Na primeira, Beta-I, foi recebido pelo gerente de comunidade e produção, Rodrigo Zwetsch.  A  Beta-i é uma das principais organizações de empreendedorismo e inovação de Portugal, ajudando as empresas novas e estabelecidas a expandirem o modo de inicialização (executando programas de aceleração e inovação, organizando eventos, promovendo investimentos e criando ótimos espaços de trabalho em sua sede).  Outra entidade contatada foi o Polo Tecnológico de Lisboa, conhecido como Lispólis. Lá foi recebido pelo diretor de promoção e inovação, Pedro Rebordão. O Lispolis é uma associação privada sem fins lucrativos, fundada em 1991 e conta com 115 empresas instaladas. A entidade apoia ideias, startups e scale-ups, além de acolherem micro e pequenas empresas de base tecnológica e empresas vindas de programas de aceleração e incubação. Ajudam no procura de investimento e financiamento, além de facilitarem o networking e o estabelecimento de parcerias. Por último, foi a vez de conhecer a Startup Lisboa, em uma visita recepcionada pelo CEO Miguel Fontes e pela gerente de parcerias Sara Madeira. Inaugurado em fevereiro de 2012, o QG da Startup Lisboa agrupa mais de 40 startups e apoia a criação de empresas em seus primeiros anos de atividades. A entidade foi criada pelo Município de Lisboa, Montepio Bank e IAPMEI – Agência Portuguesa de Competitividade e Inovação. É uma associação privada sem fins lucrativos que oferece espaço para escritórios empresariais, bem como uma estrutura de apoio (mentoring, parceiros estratégicos, acesso a investimentos/financiamento,...

Dica de leitura: Revista sobre mudanças no cenário dos Núcleos de Inovação Tecnológica

O grupo de pesquisa da UFSC em Habitats de Inovação e Empreendedorismo, VIA Estação Conhecimento, lançou nesta última semana de 2017 a terceira edição de sua revista institucional, a VIA Revista, com a temática Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs). Em entrevistas, relatos e resultados de pesquisa, a publicação aborda alinhamentos entre os núcleos com demandas de governos, universidades e empresas. São cases como o da implantação da Secretaria de Inovação da UFSC (SINOVA) e a estrutura da agência Inova Unicamp, além de levantamento sobre pedidos de patentes e mudanças no INPI em 2018. A publicação está disponível em http://via.ufsc.br/via-revista-nits/....

Reforma Trabalhista: o que muda para as startups

Com certeza o maior desafios para startups é crescer dentro de um modelo e orçamento enxuto. Como então alcançar altos patamares sem grandes investimentos? Mesmo com um ecossistema mais organizado, com cheques em altos valores de investimentos no setor de tecnologia, as startups, em sua grande maioria, ainda vivenciam um  cenário em que é preciso “economizar daqui para investir ali”. Essa situação faz com que sempre sejam priorizadas ações muito bem pensadas, e processos de investimento em ferramentas e soluções  para o crescimento da empresa, e que tenham preferencialmente baixo custo. Entendendo essa premissa, o ponto da Reforma Trabalhista que que mais toca as startups é a flexibilização de contratos de trabalho. Possível desde a sua validação, no último 11 de novembro. Agora as decisões acordadas entre empregador e empregado, individualmente, têm sobredeterminação aos acordos coletivos de cada categoria. É difícil imaginar que leis trabalhista estabelecidas em um Brasil onde 80% da população vivia no campo, e o processo de industrialização apenas engatinhava poderiam durar tanto tempo em vigor. A descentralização dos polos econômicos, novas tecnologias, hierarquias flexíveis, os processos colaborativos e entregas que podem ser realizadas sem a necessidade que o funcionário esteja in loco são alguns dos exemplos que nos mostram como esta reforma nas leis trabalhistas chegaram para otimizar o tempo de todos envolvidos na cadeia produtiva do país. A Reforma Trabalhista trouxe o esperado dinamismo para as relações entre empresas e empregados, sendo possível acordos entre estas partes substituírem retrógrados sindicatos que pipocam todos os dias pelo país. Na realidade, além de toda flexibilidade conquistada, as alterações na CLT foram uma vitória para todos, pois...

Softplan anuncia aporte em startups de inovação para Gestão Pública

Ampliar a oferta de soluções inovadoras para uma gestão pública cada vez mais digital é a premissa dos investimentos em duas startups de Florianópolis que a Softplan, uma das maiores empresas de softwares de Santa Catarina, acaba de anunciar. 1Doc e WeGov são os dois primeiros negócios a receberem aportes da companhia no âmbito da área de Inovação e Novos Negócios da Unidade de Gestão Pública. O modelo de investimento que a unidade segue é o de Corporate Venture, que mantém os empreendedores no negócio com o apoio da força de vendas, canais, marca e conhecimento de negócio. “Nossa estratégia de crescimento apoiada na inovação aberta tem como objetivo diversificar o portfólio de soluções com startups que possam complementar as ofertas atuais ou acessar novos mercados estratégicos para a Softplan”, resume o sócio-fundador e diretor da Unidade de Gestão Pública, Moacir Marafon. Além do Corporate Venture, a Softplan também possui iniciativas de inovação interna, com programas de intraempreendedorismo e laboratórios de inovação para experimentação de novas tecnologias e modelos de negócio e em 2018 tem planos para expandir mercado com fusões e aquisições. Ambas as startups estão incubadas na nova sede da Softplan, inaugurada há um ano no Sapiens Parque, um dos principais parques de inovação do país. A proximidade com os executivos de negócio, times de desenvolvimento e relacionamento com o cliente é outro diferencial do modelo, segundo Marafon. O valor dos aportes não foi anunciado, mas envolve investimento financeiro da Softplan em troca de participação nos negócios. A expectativa é que novos investimentos sejam realizados nos próximos meses. Além do aporte financeiro, as startups contam com acesso aos canais de...

Anprotec, Sebrae e ICE lançam chamada para negócios de impacto

A Anprotec, o Sebrae e o ICE anunciaram, a abertura da chamada para o Programa de Incubação e Aceleração de Impacto. O objetivo do programa é apoiar o desenvolvimento de negócios de impacto e mobilizar incubadoras e aceleradoras de todo o Brasil para a atração, seleção e acompanhamento de negócios de impacto, na construção de uma agenda empreendedora que possibilite mais soluções para a resolução de problemas sociais. “O programa está alinhado a uma vertente cada vez mais comum no mundo, a de negócios com propósitos e causas sociais e ambientais bem definidas. Estamos falando de empreendimentos inovadores com alto potencial de crescimento e de internacionalização, que trazem soluções benéficas e vantajosas para a vida da população como um todo”, destaca Sheila Oliveira Pires, superintendente executiva da Anprotec. “A parceria com o ICE e com o Sebrae é fundamental para a realização do programa”, completa. As duas primeiras rodadas do Programa foram coordenadas pelo ICE e, a partir deste ano, a iniciativa passa a ter a coordenação da Anprotec. “Para nós, essa mudança de atuação e a liderança da Anprotec na expansão do Programa é um dos maiores resultados alcançados. Estamos felizes que a Anprotec esteja assumindo essa agenda de disseminação do tema de inovação de impacto socioambiental a partir da próxima rodada”, ressalta Fernanda Bombardi, gerente-executiva do Instituto de Cidadania Empresarial (ICE). “Podemos agora nos dedicar ao aprofundamento desse tema com as 45 organizações que participaram do processo nas duas primeiras rodadas”, completou. Para Krishna Aum de Faria, da Unidade de Acesso à Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade do Sebrae, “é fundamental que as incubadoras, aceleradoras e os demais mecanismos de apoio à inovação se...

Aberto edital para incubação de novas empresas

Instituto Gene está com inscrições abertas para receber novos projetos Você que tem uma ideia inovadora, fique atento a esta oportunidade! O Instituto Gene Blumenau acaba de lançar o Edital de Seleção de Projetos Inovadores e de Impacto Social para fazer parte do Programa de Incubação. É uma grande oportunidade para quem tiver uma ideia inovadora e está precisando de infraestrutura física, treinamentos e capacitações, mentorias, serviços de orientação gerencial e profissional, além de uma privilegiada rede de contatos. Clique aqui para fazer a leitura do edital. Para este edital, estão sendo oferecidas vagas em duas categorias: Incubação Residente e Incubação Virtual. O processo de seleção abrange duas etapas. A primeira é o preenchimento do Formulário de Inscrição. Clique aqui para acessá-lo. Como parte ainda da primeira etapa, há a Oficina de Ideação e Modelo de Negócio, que será realizada no sábado, dia 2 de dezembro. O evento tem como finalidade: 1) A identificação os critérios de segmentação de clientes e de criação da proposta de valor; 2) A compreensão dos principais métodos de receita e formas de monetização e; 3) A aplicação da metodologia de modelos de negócios e o desenvolvimento de planos de negócios inovadores. Para avançar para a segunda etapa do edital, é necessária a participação de pelo menos um representante por projeto, estando a ideia já cadastrada no edital até a data ou com os membros com a intenção de fazê-lo. O período de inscrições vai até o dia 6 de dezembro. A segunda etapa será a apresentação do projeto inscrito à banca avaliadora, composta por membros do Conselho de Administração do Instituto Gene Blumenau e...